GestãoNewsletter

Roche usa nuvem AWS para extrair valor de dados sobre saúde

0

A Amazon Web Services (AWS) anunciou que o Grupo Roche usa sua plataforma para a maioria de seus workloads de nuvem para extrair mais valor dos dados na área da saúde. A empresa usa os recursos da AWS em alto desempenho computacional, analytics, machine learning, bancos de dados, armazenamento e segurança a fim de acelerar a descoberta e o desenvolvimento dos fármacos, assim como de processar os dados da saúde em escala para oferecer um atendimento personalizado e de alta qualidade. 

A Roche também trabalha com o AWS Professional Services para integrar seus sistemas de TI e possibilitar o compartilhamento seguro dos dados conforme for necessário tanto dentro da empresa quanto com grandes partes interessadas externas, como instituições acadêmicas, agências regulatórias e prestadores de saúde, com a Roche sempre em conformidade com as leis e diretrizes de proteção da privacidade dos pacientes. 

A infraestrutura segura da AWS e seu portfólio de serviços são a base do programa de saúde personalizada da Roche. Embora as biofarmacêuticas estejam trabalhando em prol de uma medicina personalizada há mais de duas décadas, foi apenas recentemente que os avanços dos dados, de analytics e das tecnologias digitais deixaram o setor da saúde pronto para uma transformação. 

A Roche usa os serviços de analytics e bancos de dados da AWS como o Amazon OpenSearch Service (o serviço da AWS usado para buscar e visualizar até petabytes de textos e dados desestruturados) e o Amazon Aurora (o banco de dados relacional construído para a nuvem e compatível com MySQL e PostgreSQL) para ajudar a empresa a conseguir insights práticos por meio de seus dados corporativos, científicos, clínicos, digitais e dos pacientes do mundo real. Com a AWS, a Roche consegue examinar em escala dados de saúde relacionados à constituição genética dos pacientes, à sua saúde geral, à eficácia dos fármacos e às interações medicamentosas por meio da análise de conjuntos de dados estruturados de informações não identificáveis que a Roche anonimiza e agrega para proteger a privacidade dos pacientes. 

Essa habilidade confere aos pesquisadores da Roche uma compreensão mais detalhada da biologia dos pacientes em grandes grupos da população, ajudando-os a identificar padrões e pontos fora da curva para fundamentar o desenvolvimento de diagnósticos e tratamentos. 

A nuvem também ajuda a Roche a usar tecnologias digitais como os aplicativos de smartphone que auxiliam os profissionais de saúde a oferecerem um atendimento personalizado e possibilitam que os pacientes tenham um papel de protagonismo na gestão de sua própria saúde. Os serviços da AWS como o AWS Lambda (um serviço computacional sem servidor e com base em eventos), o Amazon Elastic Kubernetes Service (Amazon EKS) e o Amazon SageMaker (o serviço da AWS que ajuda os desenvolvedores e cientistas de dados a construírem, treinarem e implementarem modelos de machine learning com rapidez) possibilitam que a Roche receba, armazene, processe e analise rapidamente dados de saúde coletados pelos dispositivos inteligentes. 

Por exemplo: a Roche construiu e executa o aplicativo mySugr na AWS para fazer a agregação e a análise de dados como a glicose sérica dos pacientes com diabetes de forma segura. A Roche usa o aplicativo para acessar e analisar os dados dos medidores inteligentes de forma automática a fim de definir os horários e as doses dos medicamentos dos pacientes com mais precisão. Em toda sua gama de aplicações digitais para a saúde, a Roche está sempre coletando e analisando os dados de saúde dos pacientes na nuvem com segurança, o que gera aos pacientes e a seus profissionais de saúde uma compreensão mais precisa e tempestiva de como as doenças avançam e reagem aos tratamentos. 

A Roche também usa as funcionalidades computacionais escaláveis de alto desempenho da AWS, assim como seus serviços de contêineres e analytics como o Amazon Redshift (o serviço de armazém de dados da AWS) para ter segurança na hora de processar e extrair insights de dezenas de petabytes de dados genômicos de mais de 300 mil pacientes com câncer do mundo inteiro mediante o consentimento deles e sempre respeitando sua privacidade. A Roche usa o Amazon FSx for Lustre (o serviço da AWS que oferece armazenamento para workloads computacionais com escalabilidade, alto desempenho e um ótimo custo-benefício) para armazenar os dados genômicos e deixá-los disponíveis rapidamente para análise. Com o apoio da AWS, a Roche continua expandindo seu conhecimento sobre os diferentes tipos de câncer para conseguir identificar os casos com mais agilidade no futuro. 

A fabricante aumentará o valor do seu trabalho de identificação de tumores com os insights sobre a saúde dos pacientes que vêm dos prontuários eletrônicos agregados processados na AWS. A empresa executa analytics, machine learning, armazenamento e aplicações de bancos de dados gerenciados na AWS, ajudando na extração e padronização de dados de alta qualidade de mais de três milhões de prontuários eletrônicos para gerar conjuntos de dados anonimizados dos pacientes do mundo real. Isso inclui petabytes de dados oncológicos e outras informações de saúde protegidas que os pesquisadores da Roche usam para fundamentar o próprio trabalho e definir o design dos ensaios clínicos. 

Pague Menos acelera expansão orgânica com inauguração de 80 lojas em 2021

Artigo anterior

Startup ressalta que aplicação de IA pode contribuir com a área da saúde

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Gestão