NewsNewsletter

Startup de impacto social oferece cirurgias oftalmológicas para pessoas de baixa renda

0

HealthTech especializada em jornada digital de saúde, a Central da Visão é uma startup de impacto social positivo que favorece o acesso de pessoas sem plano médico a cirurgias oftalmológicas seguras, realizadas em clínicas particulares e com condições mais acessíveis. Possui hoje 28 clínicas afiliadas em nove estados brasileiros, totalizando mais de 100 cirurgiões oftalmologistas que atendem pacientes pelo projeto, oferecendo alguns horários de sua agenda para atender pacientes da Central da Visão que aguardavam na fila do SUS.

A Central da Visão criou um modelo de negócios em que cirurgiões oftalmologistas experientes cedem horários vagos de suas agendas para consultas e cirurgias. Com maior ocupação de centros cirúrgicos, a startup ajuda a diluir custos fixos das clínicas e assim desenvolveu pacotes completos de cirurgia com condições mais acessíveis e formas facilitadas de pagamento.

Com metodologia inovadora, a Central da Visão acompanha a jornada de saúde de cada paciente através de um sistema proprietário de gestão de relacionamento com o cliente (CRM), que possibilita a personalização do atendimento. Todo paciente que precisa de uma cirurgia de visão é atendido, não por robôs, mas por uma equipe especializada no acolhimento e em orientar em linguagem simples, ainda que em ambiente 100% digital.

“Para nós é fundamental garantir que os pacientes cumpram todas as etapas, consulta, exames, cirurgia e pós-operatório, para que realmente voltem a enxergar. A alta taxa de conversão cirúrgica de catarata — 70% de conversão, a cada 100, 70 operam — comprova o sucesso de nosso negócio”, afirma Guilherme de Almeida Prado, sócio fundador da startup.

No nicho de atuação da startup, a catarata é a cirurgia mais procurada. Processo natural de envelhecimento do cristalino, que é a lente natural dos nossos olhos, a catarata é responsável por 51% dos casos de cegueira no mundo. A cegueira causada pela catarata é chamada de reversível, porque pode ser curada cirurgicamente. Por este motivo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% dos casos de cegueira poderiam ser evitados com maior ação de prevenção e tratamento, onde ter acesso ao atendimento oftalmológico faz toda diferença.

Favorecendo com que pessoas sem plano de saúde tenham acesso a cirurgias de visão, a startup reduz a desigualdade e melhora a qualidade de vida da família e de seus pacientes porque, cegos ou com baixa visão, são afastados do mercado de trabalho e do convívio social, representando perda de força de trabalho e um alto custo para a família e a sociedade. Estudos científicos mostram que a cirurgia de catarata reduz o risco de demência, depressão, tombos, quedas e, ao restaurar a visão, devolve a qualidade de vida ao paciente e a sua família.

Para atender ao gap da lista de espera do SUS por cirurgias de visão no país todo — mais de 500 mil pacientes com catarata esperam na fila —, a Central da Visão vem expandindo sua atuação pelo Brasil, para possibilitar a mais pessoas, sem plano de saúde e com condições financeiras restritas, o acesso a cirurgias de visão. Pós-pandemia, a situação se agravou ainda mais com a redução no número de atendimentos de diagnósticos e cirurgias de catarata pelo SUS — de 670 mil cirurgias, em 2019, caiu para 390 mil, em 2020, segundo dados do Data SUS.

A Central da Visão diz já ter realizado mais de 5 mil cirurgias de visão e vem multiplicando sua capacidade de atendimento para atender à maior demanda. Nos últimos seis meses, teve um aumento de 50% nos pedidos de orçamentos mensais, que chegaram a 8 mil em maio. Para atender à crescente demanda, a startup vem expandindo sua capilaridade e logo poderá contar com a ampliação de sua atividade social em parceria com oito novas clínicas nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste.

“Queremos que os pacientes com catarata, que aguardam há anos por uma cirurgia, saibam que agora existe uma solução de qualidade e mais acessível no particular. E mais que isso, que um paciente sem plano de saúde pode ser tratado com dignidade, educação e muito carinho na Central da Visão”, declara Marta Luconi, CEO da Central da Visão, que define o negócio como um projeto de inclusão social, porque oferece um serviço de atendimento totalmente personalizado, que acompanha a jornada do paciente, do primeiro atendimento até o pós-cirúrgico, democratizando a recuperação da visão.

Segundo a executiva, a healthtech atende a quatro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU: “Erradicação da Pobreza”, “Boa Saúde e Bem-Estar”, “Indústria, Inovação e Infraestrutura” e “Redução das Desigualdades”. Propósito reconhecido com a recente certificação da empresa pelo Sistema B, movimento global que mede o impacto socioambiental gerado por empresas, e pela seleção, entre 25 startups de mais de 600 inscritas, para o 1º Programa de Aceleração de Empresas de Impacto Socioambiental do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Para agendar consultas basta entrar no site   www.centraldavisao.com.br  ou ligar no 0800 608 2130.

Automação no segmento farmacêutico pode evitar gargalos e trazer agilidade, diz especialista

Artigo anterior

Johnson & Johnson MedTech capacitará jovens em tecnologia em situação de vulnerabilidade

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News