quinta-feira, maio 23, 2024
Home Negócios Apesar dos cortes de custos, Amazon deve manter investimentos na área de saúde

Apesar dos cortes de custos, Amazon deve manter investimentos na área de saúde

por Redação
0 comentário

Em meio à execução de um amplo programa de cortes de custos para reduzir os negócios não lucrativos da empresa, o CEO da Amazon, Andy Jassy, ​​afirmou ao The Wall Street Journal que a gigante varejista continuará investindo em saúde. Pessoas familiarizadas com o assunto disseram ao jornal americano que Jassy tem como meta reduzir despesas e aumentar a lucratividade. Os cortes ocorrem em razão das perdas US$ 3 bilhões da empresa neste ano, depois de registrar lucro líquido de cerca de US$ 33 bilhões em 2021 e US$ 21 bilhões em 2020.

Um dos negócios que o varejista está fechando é seu serviço de telessaúde, o Amazon Care, que não estará mais disponível após 31 de dezembro. Em um e-mail enviado aos funcionários da Amazon Health Services em 24 de agosto, Neil Lindsay, vice-presidente sênior da Amazon Health Services, disse que “a Amazon Care não é a solução de longo prazo certa para nossos clientes corporativos e decidimos que não vamos mais oferecer o serviço”.

A Amazon Care, lançada em 2019, tem meia dúzia de clientes corporativos, incluindo Hilton, Silicon Labs, Precor e Whole Foods, da Amazon. De acordo com o e-mail, quem trabalha para a Amazon Care terá a chance de migrar para outras área da organização de serviços de saúde ou em outras equipes da Amazon.

A mudança ocorre em grande medida porque o serviço de atendimento virtual falhou ao não fornecer “uma oferta completa o suficiente” para os grandes clientes corporativos da Amazon.

Apesar disso, de acordo com fontes,  incursão da empresa na área de saúde é considerada estratégica e lucrativa, e por isso estaria interessada em manter investimentos contínuos no setor. Atualmente, a Amazon negocia a aquisição da empresa de cuidados primários virtuais e presenciais One Medical, por US$ 3,9 bilhões.

O objetivo é combinar a tecnologia e a equipe da One Medical com a Amazon e oferecer uma assistência médica mais conveniente e acessível, presencial e virtualmente, disse a empresa em um comunicado à imprensa. “Há uma imensa oportunidade de tornar a experiência de saúde mais acessível, econômica e até mesmo agradável para pacientes, provedores e pagadores. Estamos ansiosos para inovar e expandir o acesso a serviços de saúde de qualidade juntos”, disse Amir Dan Rubin, CEO da One Medical, em um comunicado à imprensa da empresa.

Se o acordo for aprovado, dará ao varejista uma posição maior na venda de serviços de saúde para os empregadores. Também há especulações de que a Amazon pode não manter o atendimento virtual.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário concorda com o armazenamento e tratamento dos seus dados por este website.

SAÚDE DIGITAL NEWS é um portal de conteúdo jornalísticos para quem quer saber mais sobre tendências, inovações e negócios do mundo da tecnologia aplicada à cadeia de saúde.

Artigos

Últimas notícias

© Copyright 2022 by TI Inside