ArtigosNewsletter

Saúde e comunidades de cuidado conectadas são a base da sustentabilidade

0

Para atingir o objetivo da sustentabilidade no setor, é necessário inovar a entrega dos serviços, ter foco na saúde e no bem-estar e migrar o conceito de cuidados em saúde para sistemas de saúde. A partir dessa percepção, profissionais que dão vida a esse ecossistema estão mudando suas expectativas ao buscar mais transparência. O objetivo é melhorar as escolhas e a comunicação para que todos tenham acesso à informação e ofereçam mais valor em seus serviços. Isso inclui beneficiar, lá na ponta, o personagem principal, que é cada indivíduo da população atendida.

O primeiro degrau da escalada da informação é a interoperabilidade dos dados que chegam de forma não estruturada e que são fornecidos aos sistemas de automação por várias fontes e em diferentes formatos. A leitura, o processamento e a transformação dos dados em arquivos homogêneos e inteligíveis só podem ser realizados por uma plataforma de dados interoperável para que as informações de saúde promovam a comunicação sustentável entre as instituições.

A interoperabilidade entre os sistemas é vista como o meio de gerenciar melhor o registro eletrônico da saúde do paciente e, por consequência, a sua própria saúde. A plataforma de dados, somada a um software de compartilhamento de registros clínicos eletrônicos e a um sistema unificado de informações, é a ferramenta ideal para o ecossistema promover a sustentabilidade dos negócios. Importante lembrar que o indivíduo atendido é beneficiado não somente com tratamento em nível mais elevado, mas também por ter acesso a suas informações clínicas e poder retê-las.

No mundo todo, o grande desafio para que as instituições da saúde alcancem a sustentabilidade são a conectividade clínica e o compartilhamento de dados da população atendida nas redes pública e privada. Os dados, por sua vez, não podem ser de baixa qualidade para não provocarem ineficiência nos sistemas de automação e a insatisfação do público atendido. Esses fatores geram aumento considerável de custos à cadeia de valor. Por isso é importante ter fontes confiáveis dos fornecedores da informação para que se forme um diretório único e uniforme. Dessa necessidade, nasce o conceito healthshare provider directory, ou seja, uma solução master de gestão que automatiza o processo de coletar, consolidar e difundir informações precisas que chegam dos provedores.

HealthShare provider directory tem como finalidade oferecer uma visão integral de assistência à saúde mais segura e eficiência para garantir condutas clínicas mais eficazes, com redução de custos e de riscos aos pacientes. O caminho para se chegar a esse resultado depende do acesso direto à fonte fidedigna de ampla base de dados clínicos e demográficos para que os profissionais possam extrair inteligência e informações. É um processo que depende da possibilidade de reunir, compartilhar, interpretar dados estruturados e não estruturados (NLP) e utilizar as diferentes informações de um mesmo paciente em ambientes e ecossistemas cada vez mais complexos.

Esses ambientes envolvem internet das coisas (IoT), residências, hospitais, desospitalização, tráfego seguro e rápido, uso de wearables, enfim, todo um arsenal de fontes que possibilitam a assistência à saúde de forma segura e eficiente com condutas mais eficazes, com redução de custos e tomadas de decisão mais precisas. Por fim, proporcionam uma nova experiência aos indivíduos atendidos e o seu engajamento nos cuidados à saúde.

*Alexandre Tunes é o country manager da InterSystems no Brasil.

Tecnologia ajuda hospitais filantrópicos a democratizar acesso à saúde

Artigo anterior

Rastreador digital identifica tipos de gripe e covid sem contato físico nem coleta de amostra

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais Artigos