ArtigosNewsletter

Tecnologia como aliada para prover acesso à medicina de qualidade

0

O conceito de care management, ou seja, uma gestão integrada do paciente, principalmente de doentes crônicos, tem ganhado força no sistema de saúde mundial e a tecnologia é uma grande aliada nessa nova abordagem. Realidade virtual, aprendizado de máquina, telemedicina e telecomando são algumas das inovações já presentes no dia a dia dos principais players do segmento e que contribuem para uma maior assertividade e precisão no diagnóstico de patologias e cuidados profiláticos de modo multidisciplinar.

Essa é uma realidade nos grandes centros, mas como fazer para oferecer medicina diagnóstica de qualidade para cidades mais afastadas, onde, muitas vezes, há carência de insumos, investimentos e profissionais especializados? Hoje, a tecnologia nos permite desenvolver soluções efetivas para realização de diversos exames essenciais à distância.

Isso significa que um morador de Nova Mutum, em Mato Grosso, por exemplo, pode fazer uma ressonância magnética por meio de telecomando. Ou seja, uma equipe à distância opera o aparelho e médicos especialistas trabalham no laudo e pós-laudo. Isso permite um diagnóstico mais assertivo, além de garantir que esse paciente tenha acesso a um atendimento especializado e uma definição terapêutica rápida, minimizando o agravo da doença.

Um exemplo do impacto das novas tecnologias para prover uma medicina de precisão é nos prontos-socorros. Atualmente, já contamos com soluções em radiologia e cardiologia em diversos hospitais, inclusive em cidades pequenas e remotas, onde nem sempre há um especialista presente em emergência. Com essas inovações, conseguimos fazer um laudo de eletrocardiograma à distância, em apenas três minutos, possibilitando o desfecho correto para uma pessoa em situação grave. Diagnóstico precoce é a chave para uma recuperação de sucesso, pois, em muitos casos, o paciente ainda precisa aguardar a chegada de um especialista para ter o resultado e essa espera pode ser decisiva para o seu estado de saúde.

Voltamos, assim, para a abordagem de care management, colocando o paciente no centro do sistema e buscando um cuidado integrado, desde o atendimento médico até o diagnóstico. No contexto atual de pandemia, oferecer um exame de qualidade, rápido e com diagnóstico preciso, pode salvar vidas. Em um momento em que as pessoas deixaram de realizar avaliações médicas por receio da Covid-19, quando conseguimos por meio da tecnologia realizar um laudo de alta acurácia, com rapidez e a chancela de especialistas, podemos chegar com mais facilidade ao diagnóstico, evitando, mais uma vez, o agravo de patologias associadas do paciente.

Há espaço para muitos avanços nesse campo, em diversas especialidades, e é importante defender essa parceria e investir em novas tecnologias, sempre visando garantir o acesso à saúde de qualidade. Assim como a Inteligência Artificial, soluções de Machine Learning e algoritmos já fazem parte da nossa rotina, e a tendência é que também estejam cada vez mais presente na experiência do paciente. Seja na gestão, na realização de exames e procedimentos e, principalmente, na busca pela recuperação e pelo bem-estar do usuário.

Fabio Mattoso, diretor do iDr, empresa de tecnologia do Grupo Alliar.

Pedro Leme chega à Filóo Saúde como novo CTO

Artigo anterior

Startup usa IA e cria assistente virtual de qualidade de vida

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar

Mais Artigos