InovaçãoNewsNewsletter

Instituto lança mapa da saúde mental com apoio do Google

0

Entrou no ar, com apoio do Google, o Mapa da Saúde Mental. A iniciativa foi desenvolvida pelo Instituto Vita Alere, que atua na promoção da saúde mental e na prevenção e posvenção do suicídio.

O site propõe-se a ser um guia de ajuda e mostrará uma série de informações úteis, seja para quem procura atendimento online durante a pandemia da Covid-19 ou para quem prefere o presencial após o término do isolamento social.

No mapa online é possível encontrar profissionais e grupos de apoio disponíveis virtualmente. Já no presencial estão endereços e telefones de diversos serviços, sempre mostrando os mais próximos da localização de cada pessoa por meio do Google Maps, como Unidades de Pronto Atendimento, Unidades Básicas de Saúde, Ambulatórios Médicos e de Especialidades, Centros de Atenção Psicossocial (segmentados para adultos, crianças e usuários de álcool e drogas), hospitais convencionais e psiquiátricos, ONGS e clínicas-escolas. Para completar dará para localizar rapidamente contatos primordiais como do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, SAMU e CVV (Centro de Valorização da Vida).

Os usuários ainda poderão baixar uma cartilha com informações e instruções, ler depoimentos e também entender sobre a posvenção, que é a perda de alguém pelo suicídio. Esta é uma das especialidades do Instituto Vita Alere.

O Mapa da Saúde Mental também conta com o apoio do CVV – Centro de Valorização da Vida, ABEPS – Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio, IASP – International Association for Suicide Prevention e SaferNet.

Paralelamente continuarão sendo postadas diversas dicas para famílias, idosos, pessoas com transtornos mentais e profissionais da saúde no perfil da entidade no Instagram (@vitaalere) e realizadas uma série de palestras com especialistas e influenciadores no canal bit.ly/YouTubeVita

Os impactos da LGPD na desospitalização

Artigo anterior

Hitachi Vantara, American Heart Association e BurstIQ lançam desafio de dados sobre COVID-19 para acelerar pesquisa e inovação

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar