NewsNewsletter

Mercado de Franquias de Saúde e Beleza cresce 10,5% em unidades e fatura cerca de R$ 39 bilhões

0

O mercado de franquias consolidou sua curva de recuperação em 2021, compensando grande parte das perdas de 2020 e quase igualando o desempenho de 2019. É o que mostra o balanço anual realizado pela ABF – Associação Brasileira de Franchising. O faturamento das franquias no Brasil passou de R$ 167,187 bilhões em 2020 para R$185,068 bilhões em 2021, um crescimento nominal de 10,7%, chegando a patamar semelhante ao de 2019 que foi de R$ 186,755 bilhões.

Muitas tendências do segmento de beleza ficaram represadas para o ano de 2022 devido à pandemia do novo coronavírus.  A necessidade de se manter o distanciamento social e a consequente permanência das pessoas em casa, trabalhando em home office, provocou uma mudança de comportamento. Além disso, o “novo normal” também serviu como motivador para muitas pessoas que já desejavam realizar procedimentos estéticos, mas se preocupavam com um eventual longo tempo de recuperação, a colocar em prática seus planos e ficar em casa se recuperando, uma vez que agora era possível passar por esse período e continuar trabalhando, do conforto do lar, sem comprometer a rotina. 

Essas foram algumas das principais razões do crescimento das franquias do segmento de Saúde, Beleza e Bem-Estar. Segundo a ABF, esse segmento faturou cerca de R$ 39 bilhões em 2021, o que representa um crescimento de 11, 2% em relação a 2020. Já em número de unidades, o segmento chegou a cerca de 30 mil pontos no país o que representa um incremento de 10,5% em comparação com 2020. 

Nessa esteira, redes ligadas ao segmento apresentaram crescimento, como é o caso da marca Royal Face, rede de franquias especializada em harmonização facial que encerrou 2021 com 160 unidades inauguradas, num total de mais de 253 comercializadas. A meta do faturamento anual foi superada, fechando em R$ 150 milhões, com geração de 800 empregos diretos e 4 mil indiretos. Esses números positivos representam um aumento de 270% na receita frente a 2020. 

Para esse ano de 2022, a Royal Face pretende chegar a 350 unidades comercializadas, sendo destas 300 inauguradas, com o crescimento orgânico em torno de 211% em faturamento, chegando a mais de R$ 300 milhões em receita. Para isso, a Royal Face planeja investir mais de R$ 35 milhões, gerando mais de 1.500 empregos diretos e cerca de 5.000 indiretos em todo o País.

Além disso, em sintonia com esse desempenho, a Oral Sin – maior rede de franquias de implantes dentários do País – apresentou ano passado um crescimento acima da média. A marca teve um aumento de 52% de faturamento em 2021 em relação a 2020, faturando R$733 milhões. 

Com mais demanda, a rede expandiu e chegou a 452 unidades. Até o fim de 2022 a rede pretende chegar a 730 unidades, com o crescimento orgânico em de 50% em faturamento, superando pela primeira vez a marca de R$ 1 bilhão de faturamento. Para isso, a rede Oral Sin planeja investir mais de R$ 150 milhões.

De acordo com a diretora da Comissão de Saúde, Beleza e Bem-Estar da ABF, Danyelle Van Straten, o segmento foi beneficiado pela mudança de comportamento das pessoas. “O desejo de estar bem consigo cresceu. Além da demanda reprimida, houve uma aceleração digital, que levou muitas marcas ao e-commerce. Sentir-se bem depois de tantos acontecimentos ruins, é se sentir vivo. Em tempos de tantas mudanças, fazer parte de uma rede é um grande diferencial, é a força do ‘grande’ agindo localmente”, completa. “ 

Hospital Pequeno Príncipe passa a receber doação em moeda virtual, numa parceria com a insurtech Betterfly

Artigo anterior

Projeto da Unifesp desenvolve software para analisar a evolução da pandemia de Covid-19

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar

Mais News