InovaçãoNão categorizadoNewsletter

Grupo Fleury e GE Healthcare implantam equipamento ressonância inédito nas Américas

0
mri-2813909_640.jpg

Uma ressonância magnética com tecnologia mais intuitiva, apta a reduzir em até 70% o uso do gás hélio, mais ergonômica, silenciosa, ágil e capaz de gerar imagens de altíssima resolução já está em operação no Instituto de Radiologia de Natal (IRN), unidade de medicina diagnóstica do Grupo Fleury no Rio Grande do Norte. Trata-se da SIGNA Prime da GE Healthcare, a primeira ressonância magnética das Américas, que foi instalada no fim de janeiro no IRN.

Para o Dr. Edgar Gil Rizzatti, diretor executivo médico, técnico e de negócios B2B do Grupo Fleury, a decisão de investir em algo tão inovador no País e no continente é, principalmente, um reflexo de todo o trabalho feito e dos objetivos assumidos pelo grupo nos últimos anos. “Claro que ser o primeiro a incorporar uma tecnologia é uma responsabilidade muito grande. Mas estamos muito seguros de que a SIGNA Prime atende as nossas necessidades e temos uma relação de confiança com a GE Healthcare, o que facilita todo o processo. O lado bom é que podemos oferecer aos nossos médicos e pacientes recursos diferenciados de maneira exclusiva e por meio de experiências únicas”, conta o médico.

Rafael Palombini, presidente e CEO da GE Healthcare para a América Latina, acredita que a instalação da SIGNA Prime no IRN é o início da escalada dos exames de imagem para outro patamar no País e no continente. “O mercado de imagem está passando por um período de ascensão. Cada vez mais hospitais, clínicas, suas equipes e seus pacientes querem precisão, rapidez, conforto e economia. A nossa parceria com o Grupo Fleury, que já vem de longa data, sempre teve esses objetivos e, por isso, estamos juntos, mais uma vez, agora instalando a primeira SIGNA Prime nas Américas”, revela.

Vantagens para todos

Em funcionamento desde o fim de janeiro no IRN, uma das unidades mais importantes do Grupo Fleury na região Nordeste e uma das que mais realiza exames de ressonância magnética de todo grupo, a nova SIGNA Prime irá mudar a forma como equipes médicas e pacientes lidam com o exame. Mais rápida, econômica e precisa, poderá aumentar o número de atendimentos e ainda trazer um diagnóstico mais célere e assertivo.

“Escolhemos o IRN para essa primeira instalação pelo seu cenário ideal para inovações que agreguem valor para os nossos clientes. A nossa pretensão é realizar exames em centenas de pacientes a cada mês, já que a SIGNA Prime, além de oferecer recursos e resultados clínicos de ponta, também consegue ser um equipamento ágil e amigável para o operador, com menor consumo de energia e de recursos”, revela Rizzatti.

Ainda segundo ele, as vantagens da SIGNA Prime não se restringem apenas às equipes médicas ou para os profissionais que operam o equipamento. De acordo com o médico, os pacientes poderão fazer o exame com mais conforto e rapidez. “É uma experiência mais acolhedora para os nossos clientes. A SIGNA Prime é mais ergonômica, silenciosa e ainda consegue produzir imagens cuja leitura pode ser feita de forma mais acelerada do que as outras máquinas do mercado e com maior qualidade”, completa.

Inovação como meta

A aquisição da SIGNA Prime é mais um capítulo na história de parceria do Grupo Fleury e da GE Healthcare. Juntas, as empresas têm um objetivo em comum: trazer inovação e o que há de mais avançado em tecnologia para todos os cantos do Brasil. 

“Muitos nos perguntaram a razão de escolhermos uma unidade no Nordeste e não no eixo Rio-São Paulo. A nossa resposta é que queremos levar o que há de mais moderno para todas as regiões do País. O Brasil não se restringe apenas ao Sudeste. Há um imenso potencial em todos os outros estados e o IRN é um exemplo disso. Aqui, é um centro de referência com um dos maiores volumes de exames do País”, explica Rafael Palombini, presidente e CEO da GE Healthcare para a América Latina. 

Para o Dr. Rizzatti, a busca pela inovação é um dos pontos que une o Grupo Fleury e a GE Healthcare. “Buscamos constantemente soluções e produtos que agreguem valor para nossa operação, sejam em diferenciais operacionais, recursos mais sustentáveis ou sistemas mais eficientes. Inovar é uma necessidade para todos que trabalham com saúde”, enfatiza.

Ainda segundo ele, ter uma parceria com uma empresa como a GE Healthcare é fundamental para que cada vez mais tecnologias cheguem a todas as regiões do País.  “Pensamos em soluções, desenvolvemos projetos e assumimos riscos para que os nossos pacientes tenham sempre o melhor. Queremos que todas as nossas unidades tenham as melhores tecnologias e o melhor atendimento para que possamos salvar mais vidas”, salienta.

SIGNA Prime

Palombini, da GE Healthcare, diz que a SIGNA Prime  é fácil de usar e eficiente para operações diárias. Equipada com uma plataforma de software inovadora e com recursos de inteligência artificial, o que permite um exame mais rápido, preciso e completo, a SIGNA Prime também é mais sustentável já que usa menos gás hélio, reduz consumo energético e ocupa um menor espaço para instalação.

“Há uma redução de consumo de 70% do gás hélio, que é um gás caro, difícil de ser reaproveitado e que está se tornando escasso. Nosso time trabalhou de forma incansável para criar uma tecnologia que conserva o gás hélio e torna seu consumo menor pela máquina. Podemos chamar a SIGNA Prime de uma ‘ressonância verde'”, brinca Palombini.

Além do baixo consumo de gás hélio, o equipamento tem recursos exclusivos, como a nova experiência de usuário intuitiva e é de fácil instalação. “É um equipamento amigável, diria assim. É fácil de instalar, já que tem um tamanho compatível com diversos espaços e seu uso de energia é controlável. Além disso, seus dispositivos são claros e bem visíveis, com instruções passo a passo e um protocolo simples para se realizar o exame. Para o paciente, ela é mais confortável e silenciosa”, afirma Palombini.

Sistema para tratar epilepsia é selecionado por programa de inovação do Sebrae

Artigo anterior

Foco em equidade, ESG e convergência de modelos de prestação de serviços em saúde são algumas das questões urgentes para o setor em 2022, aponta relatório da Deloitte

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar